Depois das residências, as escolas são indiscutivelmente as construções mais importantes para moldar o desenvolvimento das crianças. O design e a arquitetura das instituições educacionais influenciam significativamente as características físicas, cognitivas, sociais, emocionais e criativas das crianças.

Ao proporcionar ambientes propícios à aprendizagem e ao crescimento, as edificações escolares contribuem para o desenvolvimento holístico dos alunos, apoiando o seu desempenho acadêmico, o seu bem-estar e a preparação para o futuro.

As crianças podem não se lembrarem das fórmulas de álgebra, dos detalhes da tabela periódica ou de algumas datas importantes da história. Porém, as suas experiências escolares, que são moldadas pelo design e arquitetura da escola, permanecem com eles.

Por que a arquitetura escolar é importante para a educação e o bem-estar?

O arquiteto estoniano-americano Louis Kahn (1901-1974) foi um dos primeiros arquitetos a expressar a importância da arquitetura como ferramenta educacional. Quando recebeu um pedido bizarro para projetar uma escola sem janelas, Kahn observou: “Recebi uma ordem do conselho escolar que dizia: ‘Temos uma ótima ideia. Não devemos colocar janelas na escola porque as crianças precisam de espaço na parede para as suas pinturas e também as janelas podem desviar a atenção dos professores”. Agora, que professor merece tanta atenção? Afinal, os pássaros, a pessoa correndo em busca de abrigo na chuva, as folhas caindo das árvores, as nuvens passando, o sol penetrando: tudo isso são grandes lições”.

As edificações escolares proporcionam um ambiente seguro e saudável para as crianças aprenderem e crescerem. Instalações bem projetadas, com ventilação e iluminação adequadas e acesso a água potável e instalações sanitárias contribuem para o bem-estar geral dos alunos e reduzem o risco de problemas de saúde. Espaços adequados para atividades físicas, como parques infantis e instalações desportivas, promovem a aptidão física e incentivam um estilo de vida ativo.

Salas de aula, bibliotecas e laboratórios cuidadosamente projetados oferecem espaços que apoiam o aprendizado, o pensamento crítico e a solução de problemas. Considerações acústicas, mobiliário confortável e iluminação adequada podem criar uma atmosfera propícia à concentração, permitindo aos alunos maximizar o seu potencial cognitivo.

Áreas comuns bem projetadas, como lanchonetes, espaços compartilhados e áreas de encontro ao ar livre, oferecem oportunidades de interação social, promovendo amizades, empatia e trabalho em equipe. A arquitetura inclusiva e acolhedora contribui para um sentimento de pertencimento e promove relacionamentos positivos entre alunos e professores — ao mesmo tempo que contribui para um sentimento de comunidade.

Além disso, como observou Louis Kahn, certos ambientes de aprendizagem podem inspirar e energizar os alunos. O uso cuidadoso de cores, elementos naturais, brincadeiras e espaços interativos podem contribuir para uma atmosfera positiva e estimulante, motivando os alunos a buscar ativamente o conhecimento e a aprendizagem.

As cinco escolas a seguir foram projetadas com esses ideais.

  1. Startup Lions Campus – Condado de Turkana, Quênia

Uma instituição educacional humilde, mas extremamente sofisticada, construída pelo renomado arquiteto burquinense Francis Kere, o Startup Lions Campus se assemelha a cupinzeiros e combina perfeitamente com a morfologia natural de seu ambiente.

Numa parte remota e empobrecida da África Oriental, este campus oferece formação gratuita, networking e alojamento para 200 estudantes.

2. A Escola Verde – Bali, Indonésia

Esta escola única na paradisíaca ilha de Bali foi construída inteiramente com estruturas sustentáveis de bambu. Incorpora princípios ecológicos e promove a educação ambiental.

As salas de aula ao ar livre, o ambiente natural e a integração com a natureza criam um ambiente de aprendizagem harmonioso que enfatiza a sustentabilidade e a conexão com a terra.

3. Escola ASA STEAM – Assunção, Paraguai

Ao projetar uma escola dentro do grande campus da Escola Americana em Assunção, os arquitetos britânicos David e Mary Medd garantiram que sua abordagem seria diferente da superproteção dominante na arquitetura escolar.

O resultado foi um design caracterizado pela abertura, permeabilidade e abundante luz natural, criando uma forte ligação entre o espaço arquitetônico e a natureza.

4. Escola Vittra, Telefonplan – Estocolmo, Suécia

Esta escola sueca é conhecida por seu design inovador e não convencional. Possui espaços abertos, ambientes de aprendizagem flexíveis e cores vibrantes.

A arquitetura promove a colaboração, a criatividade e a aprendizagem independente, proporcionando diversas zonas para diferentes atividades, como trabalho individual, discussões em grupo e reflexão silenciosa.

5. Jardim de Infância MS – Maebashi, Japão

O Jardim de Infância MS segue uma filosofia educacional centrada na criança – e o design do seu edifício reflete isso.

A abordagem arquitetônica está totalmente integrada à natureza e responde às mudanças sazonais. Incorpora elementos que atendem às necessidades das crianças e estimulam o seu desenvolvimento. Os espaços são projetados para promover a exploração, a brincadeira e a interação social, estimulando o sentimento de curiosidade, criatividade e independência entre os alunos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *