“É certamente nossa responsabilidade fazer tudo ao nosso alcance para criar um planeta não apenas para nós, mas para toda a vida na Terra”, diz o lendário historiador natural e locutor David Attenborough. No entanto, à medida que as cidades reivindicam uma quantidade crescente de terras e recursos, a rápida urbanização é um dos principais fatores de perda de biodiversidade em todo o mundo. Mais do que nunca precisamos da natureza em toda, à medida que o ambiente construído se expande. A biodiversidade urbana melhora a qualidade do ar e da água, reduz os riscos de mudanças climáticas e desastres naturais e aumenta nossa qualidade de vida de inúmeras outras maneiras. Mas nossos edifícios podem contribuir para a biodiversidade urbana em vez de matá-la?

Embora a coexistência de natureza e cidade possa parecer contraditória, com as estratégias e projetos corretos, as áreas urbanas podem ostentar uma biodiversidade impressionante e até mesmo abrigar espécies de plantas e animais ameaçadas de extinção. Muitas dessas soluções podem ser fáceis de implementar e manter, gerando altos retornos em termos de proteção e até de aumento da biodiversidade urbana – como as três maneiras a seguir.

Telhados verdes

Um telhado verde é aquele que alimenta o crescimento da vegetação no topo de um edifício. Este conceito antigo, que remonta aos famosos Jardins Suspensos da Babilônia, tem ganhado popularidade nos círculos arquitetônicos.

Uma solução simples que pode ser um refúgio para a biodiversidade nas cidades. Embora possam ser de baixa manutenção e baratos, eles ainda podem compensar uma parte da flora e fauna perdida durante o processo de urbanização.

Enquanto isso, os telhados verdes podem reduzir as contas de energia e ajudar as cidades a se tornarem mais resilientes às mudanças climáticas e aos desastres naturais, ao mesmo tempo que aumentam a sensação de bem-estar dos moradores.

Apicultura Urbana

As abelhas estão entre as espécies mais fascinantes do reino animal. Dependemos delas para nossa sobrevivência já que sua capacidade de polinizar está diretamente ligada à segurança alimentar global. À medida que a população do planeta aumenta, mais precisamos das abelhas.

No entanto, como a comunidade científica tem cada vez mais conhecimento sobre os animais mais trabalhadores do mundo, há uma boa notícia: as cidades e as populações de abelhas podem crescer ao mesmo tempo.

Há evidências crescentes de que, ao contrário do que se poderia esperar, as abelhas urbanas são mais resistentes do que suas parentes rurais. Nas cidades, eles têm uma taxa de sobrevivência no inverno de 62,5%, em comparação com apenas 40% no campo, ao mesmo tempo em que produzem mais mel. Portanto, promover a apicultura urbana e abrir espaço para as abelhas em nossos prédios pode ser um catalisador para a sustentabilidade e a biodiversidade em nossas cidades.

Projeto de Construção Amigável para Pássaros

As superfícies brilhantes e vítreas de uma cidade desorientam os pássaros. Os cientistas estimam que até um bilhão de pássaros morram todos os anos apenas nos Estados Unidos como resultado de colisões com edifícios. Especialmente em épocas de imigração, essas mortes podem ter consequências devastadoras para a biodiversidade.

No entanto, com os recursos de design e materiais de construção certos, os arranha-céus não precisam ser armadilhas mortais para os pássaros. Os formuladores de políticas e designers têm percebido o problema, aprovando novos regulamentos e criando soluções para evitar a morte de aves.

Por exemplo, mesmo uma solução simples e barata, como cobrir o vidro de um prédio com painéis seguros para pássaros, que são invisíveis ao olho humano, reduziu as mortes das aves em 90%.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *