O conceito de escritório tem origem nos mosteiros do século V, onde os monges viviam para copiar, traduzir e preservar textos religiosos. Os espaços de trabalho nesses mosteiros eram salas de escrita muito simples, conhecidas como “scriptorium” em latim, que incluíam apenas uma mesa.

As cadeiras não faziam parte do cenário até o Renascimento. A palavra “escritório” vem de um edifício chamado “Uffizi”, que a família Medici construiu no século XV para manter toda a administração e o judiciário sob o mesmo teto – e forneceu cadeiras e mesas aos trabalhadores.

O futuro é o trabalho híbrido

Avançando para o século XXI, especialmente desde que a pandemia da COVID-19 acelerou a transformação, a definição de trabalho e seus modelos nunca mais foram os mesmos.

Após os lockdowns, milhões de funcionários tornaram-se totalmente remotos, enquanto alguns voltaram a seus escritórios físicos. Uma terceira e crescente categoria de trabalhadores faz as duas coisas – uma vida profissional híbrida permite que eles equilibrem locais remotos e presenciais (escritórios).

Há cada vez mais evidências de que o futuro do trabalho é híbrido. De acordo com uma pesquisa global realizada pela Accenture, 83% dos trabalhadores preferem seguir um modelo híbrido.

Como a flexibilidade já é uma norma para a vida moderna, é imperativo que as empresas alterem seus espaços de trabalho de acordo com esta nova realidade.

3 Recomendações para atualizar o escritório pós-pandemia para o trabalho híbrido

Após o surto de COVID-19, a conscientização sobre a importância do ar fresco, do distanciamento físico, da higiene das mãos e da saúde mental disparou. As expectativas da maioria das pessoas em relação a um ambiente interno, seja em suas casas ou escritórios, mudaram de forma irreversível.

A redução do número de mesas está entre as maneiras mais fáceis de atingir muitas dessas expectativas. Um número menor de mesas aumentaria o distanciamento físico e abriria mais espaço para outros ambientes, exemplo áreas de relaxamento sempre com elementos de design para tornar o espaço mais agradável.

Apesar do aumento do trabalho remoto, milhões de pessoas ainda vão aos escritórios por um motivo simples: comunidade e conexão. Portanto, os escritórios pós-pandemia devem liberar espaço e recursos para permitir um diálogo entre seus funcionários que talvez não seja possível em reuniões online.

Além disso, um número cada vez maior de funcionários, principalmente da geração do milênio e da geração Z, deseja espaços de trabalho mais informais e acolhedores. Alinhadas a essas demandas, comodidades como lounges elegantes, áreas de alimentação comunitária, bares, bibliotecas e salas de jogos estão se tornando cada vez mais populares em escritórios de orientação híbrida.

A ideia de um horário das nove às cinco ou de um dia de trabalho fixo não reflete mais a realidade de milhões de funcionários. Graças à natureza cada vez mais híbrida e flexível, muitas pessoas têm mais controle sobre seus horários e adotaram padrões irregulares em suas agendas, o que pode trazer necessidades de acesso mais complexas.

Portanto, no escritório pós-pandemia que atende às necessidades dos trabalhadores híbridos, os sistemas de acesso devem ser tão flexíveis quanto o próprio trabalho. As soluções certas podem economizar tempo e recursos e, ao mesmo tempo, aumentar a segurança, a conveniência e o conforto dos funcionários.

A evolução das necessidades moldará o futuro dos escritórios

Atualmente, não há como saber o que o futuro nos reserva. No entanto, olhando para as origens do escritório, fica claro que a necessidade e o progresso da sociedade forçarão nossos ambientes de trabalho a evoluir para atender às nossas necessidades que estão em constante mudança. Sem dúvida, os visionários de negócios que se mantiverem no topo dessas transformações estarão preparados para conquistar um futuro mais sólido para si mesmos e para seus funcionários.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *