Graças ao crescente interesse pelas modernas tecnologias de acesso, o mercado global de portas automáticas vem crescendo em mais de 15 países. A China, com mais de um bilhão de habitantes, edifícios imponentes e milhares de shopping centers, é o maior mercado mundial para a venda e instalação de portas automáticas. A Europa instala até 140.000 portas por ano, logo seguida pelos Estados Unidos com 100.000. Na França, o volume de portas instaladas varia entre 20.000 e 25.000 por ano.

Uma porta automática confere muitas vantagens tanto ao operador quanto ao usuário, especialmente se for fabricada de acordo com normas e regulamentos rigorosos, incluindo código de trabalho, segurança contra incêndio, acessibilidade, e economia de energia. No entanto, após anos de uso, ainda pode ser necessário substituí-la pelas seguintes razões. 

1.Diminuição do desempenho das portas existentes 

Desde 2012, as portas automáticas, sejam elas batentes, deslizantes ou giratórias, estão sujeitas à norma europeia de segurança EN 16005. Esta norma é aplicável a todos os locais, e seus requisitos de segurança foram crescendo com o tempo. As simples barreiras celulares que não oferecem segurança suficiente ou o tipo de portas antigas que se fecham repentinamente quando alguém passa por elas não são mais encontradas facilmente. 

Portanto, é necessário substituir equipamentos obsoletos para garantir a segurança e o conforto de uso. Nesses casos, o motor também pode perder energia e não mais permitir que a porta se abra ou feche. Como o desempenho reduzido das aberturas pode ter impactos reais nos ambientes, é ideal substituir os modelos antigos por motores mais novos e mais potentes. 

Após esta atualização, é aconselhável não negligenciar a qualidade da instalação ou de sua manutenção. 

2. Renovações dos edifícios 

O trabalho de renovação é uma das razões pelas quais os usuários mudam suas portas automáticas. Se um edifício envelhece, muda de propriedade ou de função, como a mudança de um edifício corporativo para um residencial ou vice-versa, pode ser hora de uma atualização para uma porta deslizante automática, uma porta giratória ou uma porta batente. Desta forma, a porta pode atender as novas exigências de abertura e gestão do fluxo de visitantes. 

A escolha da porta também pode ser condicionada pelas exigências do arquiteto, que pode solicitar a instalação de uma porta giratória por razões estéticas, por exemplo. A porta escolhida deve melhorar a aparência geral do edifício. 

3. Modernização das entradas

Uma das maneiras mais fáceis de modernizar um edifício é instalando sistemas de entrada que atendam aos padrões atuais e forneçam características inovadoras, como o acesso móvel. 

Há muitas razões possíveis para fazer isso. Por exemplo, se a porta estiver equipada com um sistema de automação de porta batente, os operadores do sistema podem querer substituir este sistema por uma porta deslizante. 

A melhoria da estética, desempenho e acessibilidade para pessoas com mobilidade limitada também poderia ser outra preocupação resolvida com a modernização dos sistemas de entrada, que automatizam a entrada e a saída. 

Como escolher uma porta automática?

Ao substituir uma porta automática, é necessário fazer as perguntas certas: 

  1. Como ela se abre? É importante considerar o espaço disponível e a configuração da sala a ser equipada. Uma porta de correr automática pode ser uma solução econômica se você tiver falta de espaço. Você também pode instalar sensores acima de cada entrada para monitorar a taxa de ocupação do edifício. 
  2. Quais características são desejadas? Você deseja uma porta batente, deslizante ou giratória? Neste caso, é possível escolher a porta de acordo com as dimensões da área a ser equipada. Você também pode levar em conta seu gosto e preferências, tais como acabamentos, conforto, desempenho acústico ou térmico, e resistência a arrombamentos. 
  3. Quais são os requisitos de acessibilidade? As portas automáticas obedecem aos regulamentos de acessibilidade e evacuação. Cabe a você escolher aquela (com seus acessórios) que melhor se adapte ao local a ser equipado.
  4. Qual é a função do edifício? É uma premissa comercial, um local público, um edifício corporativo com muitos visitantes, ou um edifício residencial? 
  5. Qual é o orçamento? Quaisquer que sejam as necessidades, há muitas opções que atendem a todas elas, tanto em termos de segurança quanto de conforto.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *